Acupuntura no Transtorno do Espectro Autista – Parte 2

Bom dia Leitores!

Hoje daremos continuidade ao assunto:

Acupuntura no Espectro Autista.

No último post falamos sobre como melhorar a fala do paciente pertencente ao Espectro Autista e hoje nosso foco está na Dificuldade de Interação Social e no Comportamento Repetitivo.

No Autismo, a interação social

está marcadamente prejudicada e deficitária por vários motivos: problemas sensoriais, atraso de linguagem, dificuldades para usar formas de comunicação e de perceber sentimentos, gestos e faces humanas. Portanto, estimular e intervir precocemente nestes atrasos é prioritário e,  especialmente,  deve ser empreendido antes dos 3 anos.

Para Medicina Tradicional Chinesa, a dificuldade de interação social está relacionada à um desequilíbrio do Baço-Pâncreas. Como visto na Vídeo Aula -Acupuntura em Pediatria Módulo 1, crianças possuem uma Deficiência fisiológica do funcionamento do Baço Pâncreas.

O Baço-Pâncreas é o órgão responsável pela Simpatia e pela interação social, e quando há deficiência, é natural que a criança tenha a tendência à se isolar em seu próprio mundo e não buscar por outras pessoas para conviver.

Em crianças que NÃO estão no espectro já notamos a capacidade de brincar sozinha sem busca de interação. Em crianças pertencentes ao Espectro Autista, a deficiência do Qi do Baço-Pâncreas ultrapassa a deficiência fisiológica e realmente prejudica a socialização.

É importante então, que o terapeuta fortaleça o Qi do Baço. Sugiro os seguintes pontos: BP2, BP3 e o Vaso Maravilhoso Chong Mai (Vaso Penetrador) – (BP4-CS6).

Folhas verdes escuras e raízes devem fazer parte da alimentação da criança, ajudando no fortalecimento, bem como os pontos de Baço e Pâncreas que são encontrados de forma distinta na Auriculoterapia.

Também é relacionado ao distúrbio energético do Baço-Pâncreas o que chamamos de “comportamento maníaco” (relativo à mania, preocupação exagerada), ou seja, falas repetitivas sobre um único assunto e

comportamentos repetitivos.

Nestes casos, consideramos que a Deficiência do Yin do Rim (Deficiência da Essência), sempre presente em questões congênitas, leva à uma Deficiência da Energia Yin do Baço (considerada uma doença crônica), gerando sintomas de calor vazio neste órgão, ou seja, sintomas de agitação como os descritos anteriormente. A língua do paciente com Deficiência do Yin terá pouca saburra ou ausência da mesma, sendo este mais um diferencial no diagnóstico.

Sugiro os pontos: BP6, BP8, BP20 e também o Chong Mai neste caso.

Na aurículoterapia os pontos de Baço e Pâncreas devem ser mantidos. O gergelim, o arroz e o feijão (todos pretos), devem ser acrescentados na dieta.

O paciente começa a apresentar melhoras na socialização e no padrão de movimentação em até 3 sessões e lembrando que, na maioria dos casos, estes tratamentos são realizados em crianças, então, recursos como Cristais Radiônicos, Auriculoterapia, Laser Terapia (todos estes explicados na Vídeo Aula – Acupuntura em Pediatria – Módulo 3), além de Cromoterapia e Magnetoterapia podem e devem ser utilizados.

Além de acupuntura, auriculoterapia e alimentação terapêutica, recomenda-se sempre a estimulação constante em casa, na fisioterapia, fonoaudióloga, terapeuta ocupacional e escola, Lembre-se, crianças tem uma grande janela de aprendizado, da qual devemos aproveitar para a evolução.

É isso pessoal. Por enquanto encerramos a discussão sobre o Autismo. Mas será um prazer voltar à esse assunto em outras oportunidades.

Um grande abraço à todos.

Profa. Fernanda Mara

Obs: parte do texto deste post foi baseado no texto de Entendendo o Autismo



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>