A VIROSE E A DIARRÉIA para MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

Boa tarde Leitores,

Aproveitando o início das férias de verão, época em que muitas pessoas vão para praia, mudam seu ritmo de atividade diária e por conta disso acabam desenvolvendo o que a Medicina Ocidental chama de “Virose” ou ainda “Infecção Intestinal”, resolvi escrever para esclarecer o que é a Diarréia para a Medicina Tradicional Chinesa.

Vamos lá?

A Definição de diarréia é: evacuação freqüente de fezes moles ou aquosas.

 

Para a Medicina Tradicional Chinesa, esta Patologia está associada à disfunções do Baço-Pâncreas, do Estômago, dos Intestinos Delgado e Grosso além do possível envolvimento do Fígado e do Rim.

Porém, sempre que um indivíduo desenvolve diarréia, é fato que o órgão mais afetado é o Baço-Pâncreas. São raras as diarréias que afetam somente os intestinos. Doenças freqüentemente associadas aos Intestinos na Medicina Ocidental, são frequentemente associadas ao Baço-Pâncreas na Medicina Chinesa.

 

O que pode causar a Diarréia, segundo a visão Oriental?

 

1. Invasão de fatores patogênicos externos – FRIO, UMIDADE, CALOR:

– O simples fato de uma pessoa passar por mudança brusca de clima já pode desencadear a diarréia, por exemplo, sair de Brasília onde o clima é seco e ir à Ubatuba onde o clima é úmido, pode gerar uma indisposição intestinal, por invasão da própria umidade local.

-Além disso, a exposição ao frio, umidade, vento e a permanência por longo período com roupas úmidas (como biquínis, sungas, roupas suadas de atividade física), obstruem as funções de transformação e transporte do Baço-Pâncreas, Estômago e Intestinos.

É necessário saber que o Baço-Pâncreas possui a responsabilidade de remover a umidade do organismo. Quando existe uma invasão de vento-frio, umidade ou ainda somente o frio (que se junta facilmente à umidade), o Baço fica facilmente sobrecarregado, deixando então de remover a umidade do corpo. O excesso de umidade, pode então, ser transportado para o Estômago e para os Intestinos, fazendo com que as fezes fiquem excessivamente úmidas e mal formadas.

– Invasão de Calor – o calor e a umidade de algumas cidades e regiões pode também invadir o corpo, quando o indivíduo se encontra com uma energia de defesa baixa. O calor causa amolecimento das fezes que junto à umidade causará diarréia severa. As doenças de calor são caracterizadas por febre, queimação e no caso da diarréia, as fezes se tornam fétidas.

2. Alimentação irregular – Para a Medicina Chinesa, pode ser considerada alimentação irregular: ter muitas horas de pausa entre uma refeição e outra; comer alimentos de baixa qualidade; comer de forma inadequada, como com pressa, assistindo TV, em pé, etc.

– A má alimentação, consumo excessivo de frios, doces e gordurosos, assim como alimentos estragados ou por demais frios ou quentes obstruem as funções de transformação e transporte do Baço-Pâncreas. Neste caso, toda a umidade gerada no processo digestão, por ser densa, acaba sendo direcionada para baixo, invadindo estômago e intestinos, gerando diarréia.

3. Estresse emocional – preocupação e ansiedade excessivas debilitam o Baço-Pâncreas. Sentimentos ruins mantidos por longo período acabam estagnando o Qi dos órgãos, neste caso, mais especificamente o Baço-Pâncreas, que ao ter sua energia estagnada, começará a falhar em remover a umidade do corpo, gerando então, a diarréia.

A Raiva, que afeta o Fígado, também afeta Baço-Pâncreas; Justifica-se tal fato através da lei do Ciclo de Controle. Quando há um excesso no Fígado, facilmente o Baço entrará em deficiência, mais uma vez deixando a umidade no corpo, podendo gerar diarréia.

Com isso, vemos a importância de fazer as refeições em momentos prazerosos, banindo emoções e sentimentos de energia desqualificada.

4. Excesso de trabalho, de atividade física e sexual – todos esses excessos também depauperam o Baço-Pâncreas, e podem provocar diarréia.

Observações:

– umidade é o fator patogênico mais freqüente na diarréia

– toda doença crônica enfraquece o Baço-Pâncreas e pode propiciar diarréia (São exemplos de doenças crônicas: diabetes, fibromialgia, reumatismo, artrite, gordura no fígado, etc)

– a diarréia pode ser aguda (súbita: acompanhada de dor abdominal, neste caso dura poucos dias) ou crônica (quando o patogênico externo se aprofunda e se transforma em interno, podendo durar algumas semanas e até mesmo meses).

– Além da acupuntura, o tratamento fitoterápico é largamente recomendado nos eventos de diarréia aguda ou crônica, havendo grande variedade de ervas com propriedades gerais e específicas para os diferentes padrões e manifestações.

-Podemos ainda dividir as diarréias em crônicas ou agudas, por condições de excesso ou deficiência, como se segue:

 

A) Retenção de Umidade-frio (excesso):

Sintomas: diarréia aquosa, em casos severos com dor abdominal, borborigmo, sensação de opressão no tórax e de peso, inapetência, possível febre, aversão ao frio, obstrução nasal, cefaléia. Língua com saburra espessa, pegajosa, branca.

 

B) Invasão de Umidade-calor (excesso):

Sintomas: fezes fétidas e amareladas, dor abdominal, aceleração movimentos intestinais, ardência no ânus,  sensação de calor, sede, urina escura e escassa. Língua com saburra espessa, pegajosa, amarela.

 

C) Retenção de alimentos (excesso):

Sintomas: fezes soltas com odor pútrido, dor abdominal que é aliviada por movimentos intestinais, má digestão, borborigmo, sensação de plenitude, eructação, regurgitação ácida, mau hálito, inapetência. Língua com saburra espessa.

 

D) Estagnação Qi do F (excesso):

Sintomas: diarréia que pode se alternar com obstipação, distensão abdominal, eructação, inapetência,depressão mental, melancolia, nervosismo, irritabilidade. Língua com as laterais ligeiramente avermelhadas ou sem alteração.

E) DEFICIÊNCIA do BP e E (deficiência):

Sintomas: fezes soltas que podem ser aquosas e com muco, aceleração movimentos intestinais, pouca inapetência, leve distensão abdominal, sensação de opressão tórax e fadiga, tez amarelada. Língua pálida com marcas dentais.

 

F) DEFICIÊNCIA de Yang do R (deficiência):

Sintomas: diarréia matinal, dor abdominal, borborigmo que cessa após movimentos intestinais, fraqueza nas costas e joelhos. Língua pálida com marcas dentais.

Assim, termino mais um post. Para você que vai sair de férias fica a dica: Não se estresse, cuide bem de sua alimentação e acima de tudo, esteja vestido adequadamente para cada mudança de clima. Na maioria das vezes, a “virose” da Medicina Ocidental nada mais é, para a Medicina Chinesa, que uma dificuldade do organismo para se adaptar a mudanças muito bruscas, sendo assim, pode ser perfeitamente evitada. Depende somente de nós.



7 comments on “A VIROSE E A DIARRÉIA para MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

  1. vanessa correa on said:

    Olá… gostei muito da matéria, mas na realidade estou procurando uma fernanda mara dos santos que deu aula na Ibesc (instituto brasileiro de educacao em estetica e cosmetologia) em São José dos Campos. Por acaso é vc? Preciso muito da sua ajuda.

    • Fernanda Mara dos Santos on said:

      Olá Vanessa,

      Sou eu mesma.
      No que posso te ajudar?

      Abraço,
      Profa. Fernanda

      • vanessa correa on said:

        Se vc estiver aqui em são josé, quero saber se vc pode me dar umas aulas de massagem redutora e drenagem ninfatica pra eu ter o diploma, pq a escola fechou e fiquei sem o meu.
        obrigada.

  2. maria on said:

    tenho um filho de 36 anos que é soro positivo a 20 dias esta com dearréia liquida esteve hospitalizado por 1o dias mas ñ resolveu ñ sei mais o que fezer porfavor me ajude atenciosmente Maria

    • Fernanda Mara dos Santos on said:

      Bom dia Maria!

      Espero encontrá-la bem e que seu filho esteja melhor.
      Bom, primeiramente você tem que saber que uma pessoa que é soropositiva, para a Medicina Tradicional Chinesa, possui uma Deficiência de Baço-Pâncreas, que entre outras coisas, controla a consistência das fezes.

      Quando uma pessoa passa a ter diarréia líquida e de duração maior que 48hs, que determina sua cronicidade, é necessário tonificar o Baço. Isso pode ser feito através de acupuntura, principalmente nos pontos: BP2, BP3, B20, B21, P10 ou aimda adicionando à alimentação alimentos como castanha do pará, castanha de caju, uvas passa, damascos ou nozes. O ideal é apenas uma porção de 4 unidades de uma única opção. Caso não seja suficiente, o ideal seria entrar com a fitoterapia, porém para indicar um bom fito o correto seria uma avaliação mais específica.

      Talvez utilizar cristais de gengibre possa ajudar, caso os mesmos não causem queimação do estômago.

      Espero ter ajudado, ainda que tarde.

      Um grande abraço,

      Profa. Fernanda Mara

  3. Marco Rincón on said:

    Obrigado pelo ensinamento! Você “no caminho do TAO” Parabéns!!!

  4. Gustavo Campos on said:

    Muito bom as explicações, bateu tudo como que esta rolando comigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>