A Acupuntura e o Agulhamento Seco no tratamento da Epicondilite

Bom dia Leitores! 

Hoje vamos falar um pouco sobre a Epicondilite Lateral, também conhecida como Cotovelo de Tenista.

A epicondilite é uma dor, inflamação ou até mesmo desgaste que acomete os tendões dos músculos do cotovelo, que tem origem nos epicôndilos. Epicôndilos são as saliências ósseas do final do osso do braço, o úmero.

Os sintomas mais comuns da epicondilite são: dor ou sensibilidade sobre o epicôndilo lateral, que se irradiam ao longo dos músculos extensores, podendo chegar até o punho, dor que se agrava por pequenos movimentos do cotovelo, podendo incomodar e prejudicar a realização de atividades comuns, tais como escovar os dentes, abrir uma porta, escrever ou levantar um copo cheio.

Para Medicina Tradicional Chinesa, não há uma síndrome específica para explicar o aparecimento da epicondilite lateral, podendo ser apenas um acometimento muscular até mesmo um desequilíbrio de Fígado, falhando na nutrição dos tendões.

Para saber se há acometimento do Fígado, é necessário que o acupunturista avalie outros sintomas no paciente. Cãibras, secura nos olhos, unhas quebradiças e palidez na lateral da língua são alguns exemplos. Se o terapeuta concluir que há uma Deficiência do Sangue do Fígado, alguns pontos como F8, F3 e uma combinação de pontos que tonifiquem o sangue, como E36, BP6, CS6 e VC4 são indicados, além de pontos locais que irão aliviar diretamente os sintomas do paciente.

Existe também a possiblidade do paciente não sofrer de nenhum desequilíbrio energético do Fígado, tendo apenas uma lesão muscular por trauma direto ou por sobrecarga no uso. Neste casos, podemos utilizar Meridianos Tendinomusculares, que não possuem nenhuma ligação com os órgãos internos, mas possuem a capacidade de desinflamar os músculos e os tendões. Para saber mais sobre os Meridianos Tendinomuculares e seus tratamentos, acesse a Loja do Facilitando Acupuntura.

Outra opção no tratamento da epicondilite lateral, além dos Tendinomusculares, é a utilização de pontos locais, como IG11, P5, CS3, TA10 ou ainda a aplicação de agulhamento seco (Dry Needling) nos pontos gatilho que eventualmente aparecem na região.

O ponto gatilho que aparece comumente nos casos de epicondilite é o ponto gatilho do músculo Braquioradial. Um aguçamento profundo nessa região com a agulha voltada para a articulação do cotovelo irá aliviar instantaneamente a dor.

Outros recursos como ventosas e guachá, feitos com pressão leve, apenas para melhorar o aporte sanguíneo e drenar a inflamação ou ainda a moxa direta ou indireta podem sem aplicadas.

Orientar o paciente sobre o uso de magnetos no local também irá acelerar a recuperação.

Para Medicina Chinesa, a união das técnicas disponíveis é capaz de melhorar 100% casos de epicondilite.

Pratiquem e me contem depois.

Um grande abraço à todos.

Profa. Fernanda Mara

Observação: definição de epicondilite extraída de: https://www.reumatologia.org.br/orientacoes-ao-paciente/epicondilite-lateral/



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>