Pediatria em Medicina Chinesa

Leitores!

Hoje vamos discutir um pouco sobre Pediatria de Medicina Tradicional Chinesa.

Sempre recebo muitos emails me perguntando se um ponto ou outro pode ser empregado tanto em adultos como em crianças, se crianças podem fazer acupuntura, se possuem os mesmos benefícios, e este texto é para esclarecer que SIM, a Medicina Chinesa de forma geral é extremamente útil e benéfica para crianças de todas as idades.

O que precisamos considerar, são as diferentes modalidades de tratamento mais adequadas para a criança e também a diferença nas avaliações.

Crianças possuem diferenças fisiológicas em relação aos adultos, e por isso, quando um acupunturista inicia a avaliação na criança, tem que estar ciente que estas diferenças estarão presentes na avaliação de língua e de pulso (quando esta última for possível).

Assim, é comum observarmos calor fisiológico de Fígado e Coração (trazendo comportamentos irritadiços, agitados e ansiosos, que são considerados normais) e uma deficiência também fisiológica de Baço e Pulmão (levando a criança à ter facilmente problemas de digestão como vômitos e diarréia e problemas respiratórios). Partindo dessas diferenças, o avaliador conseguirá fazer um diagnóstico mais seguro e um tratamento mais eficaz.

Essas diferenças podem permanecer até os 11 anos da criança, sofrendo algumas alterações até os 14 anos e depois dessa idade, já podem ser avaliados como um adulto, pois sua fisiologia passa ser a mesma.

Em relação aos materiais usados, sempre podemos utilizar agulhas no tratamento de uma criança. Mas é importante que o terapeuta considere que crianças podem desenvolver severos traumas psíquicos, em especial se forem menores de 7 anos de idade, se forem forçadas a serem tratadas com agulhas.

Além disso, dificilmente uma criança conseguirá permanecer tranquila o tempo necessário para que as agulhas façam efeito.

Por isso, é importante que quando mais novas, as crianças sejam questionadas se querem ou não receber tratamento com agulhas. Caso a resposta seja negativa, o terapeuta deverá escolher técnicas menos invasivas, como uso de massagem, estimulação dos pontos com laser, colocação de Stiper ou Magnetos, ventosaterapia, entre outros.

Em relação aos Stiper e Magnetos, é importante que o terapeuta julgue a segurança do tratamento. É importante orientar os pais que as crianças não devem ingerir Stiper ou Magnetos, sendo os magnetos os mais perigosos, pois ingerí-los pode causar um colabamento das alças do intestino, com risco de interrupção da passagem das fezes.

A auriculoterapia também é um excelente recurso para tratamentos de pediatria e sua eficácia é a mesma com agulhas ou sementes  quando se trata de crianças. De uma forma geral, crianças costumam gostar de apertar os pontinhos da orelha e o segredo está em o terapeuta usar o tratamento como algo lúdico. Dizer que apertando as bolinhas as criança ficará “mais forte”, ou conseguirá “tirar notas mais altas”.

Em resumo: sabendo as diferenças fisiológicas entre crianças a adultos, podemos executar tratamentos com o mesmo raciocínio na escolha de pontos de um paciente comum. Escolha a técnica que a criança se interessar mais e com certeza a meta será atingida rapidamente e com sucesso 🙂

Espero que tenha sido útil. E vamos tratar dos pequenos!
Um grande abraço à todos!

Profa. Fernanda Mara



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>